04 Tipos de Perfis Comportamentais

26.05.2018

Carl Jung,psiquiatra suíço, no seu trabalho Psychological Types sugeriu que as pessoas se dividiam em dois tipos básicos: o tipo introvertido e o tipo extrovertido. Cada um destes tipos era caracterizado em termos das funções mentais usadas (a forma como se recolhe a informação) como sensorial e intuitivo e (a forma como se tomam decisões sobre a informação) como pensativo e sensitivo.

 

Combinando a preferência por cada um destes estilos, seria então possível entender as semelhanças e diferenças entre as pessoas. Apesar de não existir um estilo puro, cada sujeito seria diferenciado ou assemelhado em função das preferências no uso de cada estilo.

 

Durante os anos 40 do século XX, Katharine Briggs e Isabel Briggs Myers desenvolveram o MBTI (Myers-Briggs Type Indicator), para pôr em prática a teoria tipológica de Jung e desta forma poderem medir e compreender as diferenças individuais.

 

Embora pareça bem cartesiano e dual faz-se importante conhecer como o estudo dos perfis psicológicos vem evoluindo ao longo do tempo. O objetivo é compreender como funcionamos, não padronizar ou rotular o ser humano.

 

São 4 os tipos principais em termos de preferências e 2 as escolhas possíveis em relação a cada estilo:

 

 1) Extroversão/introversão 

Identifica um tipo caracterizado pela forma diferenciada de obter energia para a ação. Enquanto o extrovertido faz da interação com os outros a sua fonte de energia, valoriza uma extensa rede de contatos sociais e evidencia competências sociais de forma intensa, o introvertido recolhe energia no isolamento e solidão, prefere uma reduzida rede de contatos sociais e entre competências sociais e competências de pensamento reflexivo e conceitual, predominam as suas escolhas pelo segundo grupo.

 

2) Sensação/Intuição

Representa um tipo de preferência relacionado com a forma como se aborda a informação e se presta atenção à mesma. Enquanto o tipo sensitivo privilegia os órgãos dos sentidos como forma de obter informação e valoriza a existência real e atual da mesma, o tipo intuitivo faz amplo uso do sexto sentido e explora mais o virtual do que o real.

 

3) Pensamento/Sentimento 

Identifica um tipo caracterizado pela preferência relativamente a decidir sobre a informação. Enquanto o tipo pensamento privilegia a lógica, a objetividade e a impessoalidade para decidir, o tipo sentimento prefere o palpite pessoal ou o impacto da decisão em outros como critérios principais para decidir.

 

4) Julgamento/Percepção

Reflete um tipo que balanceia a sua preferência de vivência da vida entre uma orientação mais planeada, organizada e não deixando opções em aberto para o tipo julgamento, e mais flexível, espontânea e cheia de opções em aberto para o tipo percepção.

 

*baseado em MBTI (Myers-Briggs Type Indicator)

 

É fundamental ao advogado sistêmico compreender como ele e seus clientes constroem seus pensamentos, pois estes emergem como emoções, que por sua vez comandam comportamentos. Autoconhecimento para conectar-se com o outro, essencial!

 

Compartilhar
Share on Twitter
Please reload

Assine nosso canal
Please reload

CONTATO

[11] 94292-1740 - Marcella Santos

Unidade 1

Alameda Santos, 1773 - Cerqueira César

São Paulo/SP - CEP 01.419-100

[21] 98030-7444 - Luciana Ferreira

Unidade 2

Rua Augusta, 101   Sala 920  -  Consolação

São Paulo/SP - CEP 01.313-001

  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Gestão da Advocacia Sistêmica
  • Tweeter

© 2018 Advocacia Sistêmica

© 2018 Gestão da Advocacia Sistêmica

Todos os direitos reservados.

WhatsApp GDAS